Notícias

Lactalis do Brasil na Mídia

03/01/19 // Lactalis do Brasil na Mídia

Como controlar e prevenir a mastite?

Apontada por produtores e técnicos como a doença que mais causa prejuízos à pecuária leiteira, a mastite é uma inflamação das glândulas mamárias das vacas geralmente resultante da ação de bactérias. Além de reduzir a produção de leite, pode levar ao descarte e até à morte do animal. De acordo com Liz Onofri Cangussú, especialista da área […]

ler matéria
13/12/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Lactalis ganha ‘Prêmio Destaques 2018’ do Sindilat na categoria Inovação

A Lactalis do Brasil foi homenageada na festa de final de ano do Sindilat na noite de 12 de dezembro, quando empresas e personalidades receberam o ‘Prêmio Destaques 2018’ por suas contribuições ao setor lácteo ao longo do ano.

ler matéria
07/12/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Oportunidades e desafios pela frente

O Brasil dá início a um novo ano com desafios para o setor lácteo. Em 2019, é preciso implementar iniciativas para que as tão almejadas estabilidade e rentabilidade possam, enfim, se estabelecer e garantir tranquilidade à cadeia produtiva que todos os dias leva alimento de qualidade à mesa dos brasileiros. Seguiremos trabalhando para solucionar os […]

ler matéria
04/12/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Práticas de manejo de forrageiras garantem maior produção de leite

A importância da correção do solo e da utilização de técnicas adequadas de plantio são medidas essenciais para o manejo das forrageiras.

ler matéria
20/11/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Lactalis produz leite UHT em garrafas e manteiga com a verdadeira receita francesa no RS

O Grupo Lactalis deu início, em 2018, à fabricação de leite UHT das marcas Parmalat e Elegê envasado em garrafas.

ler matéria
27/10/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Lactalis do Brasil é Empresa Amiga da Justiça 

A Lactalis do Brasil formalizou seu ingresso no Programa Empresa Amiga da Justiça, iniciativa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

ler matéria
31/08/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Manejo adequado resulta em leite de maior qualidade

A ocorrência de mastite nos rebanhos impacta significativamente a rentabilidade das propriedades no Estado.

ler matéria
29/08/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Geladeira Président estreia em supermercados 

Uma novidade começa a invadir importantes redes supermercadistas do Brasil.

ler matéria
04/07/18 // Lactalis do Brasil na Mídia

Lactalis doa 2.700 litros de leite UHT a três entidades assistências de Porto Alegre

A Lactalis do Brasil realizou, em junho de 2018,a doação de 2.700 litros de leite UHT da marca Parmalat a três entidades assistenciais de Porto Alegre.

ler matéria
11/09/17 // Lactalis do Brasil na Mídia

Lactalis investe em fornecedores no país

A francesa Lactalis pretende ampliar em 30% a produtividade nas propriedades que entregam leite para a companhia no Brasil.

FAZER DOWNLOAD
20/10/16 // Lactalis do Brasil na Mídia

Lactalis confirma aporte de R$104 milhoes no Sul

A multinacional francesa de laticínios Lactalis confirmou na manhã desta quinta-feira (20) o investimento de R$104 milhões na produção do Rio Grande do Sul.

FAZER DOWNLOAD
CONTATO
Assessoria de Imprensa - Jardine Agência de Comunicação
RELACOES COM A IMPRENSA LACTALIS DO BRASIL

Como controlar e prevenir a mastite?

03/01/19
Istock
Istock

Apontada por produtores e técnicos como a doença que mais causa prejuízos à pecuária leiteira, a mastite é uma inflamação das glândulas mamárias das vacas geralmente resultante da ação de bactérias. Além de reduzir a produção de leite, pode levar ao descarte e até à morte do animal. De acordo com Liz Onofri Cangussú, especialista da área de Desenvolvimento de Projetos Agropecuários da Lactalis, o problema está ligado a fatores ambientais e ao manejo inadequado. Nesta entrevista, ela ensina como identificar a enfermidade e controla-la.

Quais são as doenças e os problemas mais comuns nas glândulas mamárias das vacas?

Liz Onofri Cangussú – A doença que mais se destaca, tanto pela incidência quanto pelo prejuízo causado, é a mastite (ou mamite, dependendo da região do Brasil). É caracterizada pelo processo inflamatório da glândula mamária causado, na maior parte das vezes, por bactérias. Os tetos podem também apresentar lesões, como o prolapso de esfíncter (hiperqueratose). isso, por comprometer a integridade dos tetos, o que pode aumentar as chances de ocorrência de mastites.

Quais são as raças bovinas leiteiras que sofrem maior incidência de mastite e em qual período as vacas estão mais sujeitas? Liz – Essa correlação (com as raças) não existe. A incidência está diretamente relacionada ao manejo e à ambiência (qualidade do ambiente onde os animais vivem). As vacas podem apresentar mastite ao longo de toda a sua vida produtiva, mas o período em que estão mais suscetíveis é no início da lactação.

Existe alguma relação entre o tipo de propriedade ou sistema produtivo e a incidência de mastite?

Liz – Sistemas de produção a pasto têm maior incidência de mastite durante o período chuvoso. A presença de barro predispõe à contaminação da glândula mamária. Sendo

assim, animais confinados tendem a ter menor incidência de mastite, justamente por não sofrerem com os impactos do período chuvoso.

Que situações podem causar alterações na integridade dos tetos? Liz – A sobreordenha, ou seja, continuar ordenhando o teto mesmo que o leite já tenha acabado, é um dos fatores que afeta a integridade dos tetos. O vácuo desregulado também agride os tetos, assim como teteiras velhas. É fundamental que seja realizada a manutenção periódica da ordenhadeira, com aferição e regulagem do nível de vácuo e substituição de teteiras.

Como identificar a mastite: quais são os sintomas e como fazer o diagnóstico?

 Liz – As mastites são classificadas por seus sintomas como clínica ou subclínica, ou pelo micro-organismo causador como contagiosa ou ambiental. O principal sinal para a identificação da mastite clínica é a presença de grumos no teste da caneca de fundo preto, podendo estar acompanhada de outros sintomas, como inchaço, dor e vermelhidão, além da queda na produção.A mastite subclínica, embora não tenha sinais tão evidentes, provoca quedas na produção e pode predispor à evolução para uma mastite clínica, em que as perdas são ainda maiores. A detecção da mastite subclínica pode ser realizada através do CMT, um teste rápido, fácil e barato, ou através do controle leiteiro (CCS individual), que permite conhecer de forma mais precisa a saúde do úbere de cada vaca.

Como se faz o controle e a prevenção?

Liz – O controle da mastite é realizado através do tratamento dos casos clínicos e descarte dos casos crônicos (animais que tenham quadros clínicos recorrentes e não respondem aos tratamentos). É possível fazer uma boa prevenção ao disponibilizar um local seco e limpo para as vacas repousarem; realizar um correto tratamento de vaca seca; ordenhar por último os animais com mastite subclínica; garantir o funcionamento e a higienização adequada dos equipamentos de ordenha, entre vários outros pontos que podem ser avaliados e adequados de acordo com a necessidade de cada fazenda.

Uma vez detectada a mastite, como tratar o problema e evitar que se espalhe pelo rebanho, afetando um número cada vez maior de vacas?

Liz – O tratamento dos casos clínicos é realizado através de antibiótico intramamário e, dependendo dos demais sintomas, pode ser associado a outros antibióticos e anti- inflamatórios. É necessário descartar todo o leite produzido pela vaca durante os períodos de tratamento e de carência dos medicamentos, pois este está contaminado por resíduos de antibiótico. Obedeça ao período de carência, inclusive, em tratamentos com antibióticos utilizados no momento da secagem. Caso haja dúvida sobre se o leite está contaminado, entre em contato com o seu técnico de captação, ele pode auxiliar. As medidas preventivas apresentadas devem ser adotadas. A implantação do sistema de linha de ordenha auxilia no controle da disseminação da mastite. Essa prática consiste em ordenhar por último as vacas infectadas a fim de evitar novas contaminações.

Existem estimativas sobre as perdas em decorrência de mastites?

Liz – Além do custo do tratamento de uma mastite (antibiótico e descarte de leite), é possível estimar a saúde da glândula mamária pelo resultado de CCS (contagem de células somáticas), tanto do tanque quanto por vaca. A tabela (veja abaixo) é bastante difundida e representativa da realidade.

Lactalis ganha ‘Prêmio Destaques 2018’ do Sindilat na categoria Inovação

13/12/18
Crédito: Dudu Leal
Crédito: Dudu Leal

A Lactalis do Brasil foi homenageada na festa de final de ano do Sindilat na noite de 12 de dezembro, quando empresas e personalidades receberam o ‘Prêmio Destaques 2018’ por suas contribuições ao setor lácteo ao longo do ano.  A Lactalis foi a grande vencedora na categoria ‘Inovação’.  O diretor de Comunicação da Lactalis, Guilherme Portella, recebeu o troféu e enfatizou que a inovação é responsável por agregar valor à cadeia produtiva do leite. “É um passo importante pois permite a entrega de produtos de qualidade ao consumidor”, discursou durante o evento. As inovações implantadas pela Lactalis em suas unidades fabris no Brasil permitiram a instalação, em 2018, de uma linha de leite UHT embalado em garrafas PET e outra para produção da manteiga premium Président, na unidade de Teutônia (RS). Na foto, Portella recebe troféu das mãos de Angelo Sartor (diretor do Sindilat), Odacir Klein (secretário da Agricultura do Estado) e Alexandre Guerra (presidente do Sindilat).

Oportunidades e desafios pela frente

07/12/18
dica3
dica3

O Brasil dá início a um novo ano com desafios para o setor lácteo. Em 2019, é preciso implementar iniciativas para que as tão almejadas estabilidade e rentabilidade possam, enfim, se estabelecer e garantir tranquilidade à cadeia produtiva que todos os dias leva alimento de qualidade à mesa dos brasileiros. Seguiremos trabalhando para solucionar os problemas do setor. Acreditamos que, resolvendo alguns entraves, seremos um país mais competitivo em leite e poderemos exportar nossos produtos para dezenas de destinos.

Ao lado da Lactalis, os produtores vêm, mês a mês, aprimorando processos nos tambos e adaptando seus níveis de qualidade aos parâmetros que, em breve, estarão em vigor com a nova instrução normativa que regula CCS e CBT. Um processo que é construído a muitas mãos e que tem apoio fantástico de uma equipe de campo de centenas de técnicos em todo o Brasil. Afinal, temos um time que dá orgulho de ver.

Ao lado do produtor, a Lactalis presta orientação técnica e vem mudando a realidade em diversas propriedades. Transformação simples que, em muitos casos, não exige grande investimento, mas sim um repensar de processos. Esse trabalho já foi feito com mais de 2 mil produtores que aderiram ao Lactaleite e, em 2019, deve ganhar mais adeptos.

Seja você também um produtor de leite diferenciado, aumente seus lucros e torne a produção leiteira um projeto para o futuro da sua família. Para saber mais sobre esse e outros programas que a Lactalis está implementando, basta acessar o site www. lactalisdobrasil.com.br, um portal novinho e cheio de informações para melhorar a vida tanto do produtor quanto do consumidor. Nesse novo canal você encontrará dicas técnicas, notícias, receitas e muitas outras informações essenciais para mudar o seu dia a dia.

A Lactalis do Brasil acredita num futuro promissor com seus produtores. É certo que teremos novos desafios em 2019. A questão essencial é como iremos enfrenta-los. Temos a convicção de que é preciso transformar problemas em oportunidades, fazer o que já se faz melhor ainda, achar no problema a mola para a superação e o sucesso. Que 2019 seja um ano de muitos desafios, porque nós estamos preparados para eles! Boas Festas! –

André Salles – CEO da Lactalis do Brasil

Práticas de manejo de forrageiras garantem maior produção de leite

04/12/18
Crédito: Leticia Szczesny
Crédito: Leticia Szczesny

A importância da correção do solo e da utilização de técnicas adequadas de plantio são medidas essenciais para o manejo das forrageiras. O assunto foi abordado junto aos produtores durante palestra na sede da Lactalis do Brasil, na Expointer. Na ocasião, Carlos Augusto Feldmann, responsável pelo desenvolvimento comercial da Atlântica Sementes, apresentou aos criadores práticas para manter o plantio no verão sem ter consequências negativas na produção. “Como costumo dizer, eu trabalho com um tripé, onde existe genética, manejo e pastejo. Se faltar um desses, não adianta comprar uma vaca cara e levar para propriedade”, disse.

De acordo com Feldmann, uma forrageira de qualidade garante aumento da produção de leite. “É de suma importância, pois um bom alimento sempre se reflete na produção”, destacou. O palestrante também ressaltou que é essencial que o produtor saiba a hora certa de colocar e retirar o gado do pastoreio e utilize sempre a semente correta, que deve ser semeada com profundidade de dois a quatro centímetros e na temperatura ideal para que possa germinar. “São vários fatores que determinam o sucesso na produção de leite”, pontuou.

Lactalis produz leite UHT em garrafas e manteiga com a verdadeira receita francesa no RS

20/11/18
Crédito: Leticia Szczesny
Crédito: Leticia Szczesny

O Grupo Lactalis deu início, em 2018, à fabricação de leite UHT das marcas Parmalat e Elegê envasado em garrafas. Os produtos sairão da nova linha da unidade de Teutônia, no Rio Grande do Sul. Tendência no mercado europeu, as embalagens representam apenas 2,2% do volume de leite comercializado no Brasil. Em seu pronunciamento, o governador destacou que o projeto consolidado hoje é resultado de uma parceria iniciada no começo de sua gestão. “O amanhã depende do que estivermos realizando hoje”, frisou, elogiando a iniciativa da Lactalis e lembrando que mais empresas precisam seguir esse exemplo e investir no RS.

Para adaptar a fábrica de Teutônia, a Lactalis investiu R$ 50 milhões em equipamentos para produção de leite UHT em garrafas e R$ 20 milhões para a linha de manteiga premium, muitos deles importados da Europa. O processo durou 12 meses e foi concluído no final de 2017. Segundo o CEO da Lactalis do Brasil, André Salles, o Rio Grande do Sul é um estado estratégico para a empresa. “Esta é uma tendência que chega ao Brasil como fruto do amadurecimento do mercado de lácteos. O leite em garrafas agrega um novo conceito de praticidade e conveniência ao consumidor”, completou o diretor de comunicação da Lactalis do Brasil, Guilherme Portella.  

As garrafas Multiprotect apresentam barreiras de revestimento que evitam o contato do leite com o ambiente externo, ajudando a mantê-lo fresco por mais tempo. A embalagem ainda tem alta resistência, fácil acondicionamento e manuseio simples, evitando perdas e respingos. A aposta da Lactalis é na capacidade de amadurecimento do mercado brasileiro, uma vez que, na França, por exemplo, o leite em garrafa PET representa 43% do mercado. No Reino Unido, a embalagem lidera com 75% das vendas.

MANTEIGA PRÉSIDENT GASTRONOMIQUE – Os investimentos na nova fábrica também permitiram a inauguração de uma nova unidade de produção de manteiga. Agora, será produzida no RS a manteiga com a verdadeira receita francesa: a Président Gastronomique. Comercializada em todo o país, levará às mesas brasileiras o sabor único da manteiga mais vendida na França. “É um produto que traz ao Brasil  inovação,  diferenciação e  qualidade que desenvolverá o mercado, como a  Lactalis  faz ao redor do mundo”, pontua Salles.

Lactalis do Brasil é Empresa Amiga da Justiça 

27/10/18
Crédito: Carolina Jardine
Crédito: Carolina Jardine

A Lactalis do Brasil formalizou seu ingresso no Programa Empresa Amiga da Justiça, iniciativa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) no qual as companhias participantes se comprometem a implantar políticas que levem a redução da judicialização, por meio de métodos como a mediação e a conciliação.  No dia 26 de outubro, André Salles, CEO da Lactalis do Brasil, assinou o Termo de Compromisso Público, documento onde constam as normas do programa, prazos e metodologias para o cumprimento do que foi pactuado voluntariamente. Com a adesão, a Lactalis assume o compromisso de aumentar a quantidade de acordos judiciais e extrajudiciais.

A partir da adesão, o número de processos distribuídos envolvendo a empresa é monitorado e, no prazo de 12 meses, é feito um balanço das medidas tomadas pela empresa. “A parceria representa o comprometimento com a sociedade e com o Poder Judiciário. A Lactalis busca cada vez mais soluções favoráveis e de impacto positivo para nossos clientes e a sociedade em geral. Estamos felizes em fazer parte desse programa”, afirmou Salles.

Manejo adequado resulta em leite de maior qualidade

31/08/18
Crédito: Carolina Jardine
Crédito: Carolina Jardine

A ocorrência de mastite nos rebanhos impacta significativamente a rentabilidade das propriedades no Estado. Pensando em alertar os produtores e revisar formas de manejo que diminuem a ocorrência da doença, a Lactalis do Brasil realizou nesta quinta-feira (30/8) palestra sobre a qualidade do leite na Expointer. Na ocasião, a médica veterinária Eveline do Carmo, técnica da Merck Sharp and Dohme (MSD), mostrou aos criadores a importância de manter a contagem de células somáticas (CCS) conforme os parâmetros da Instrução Normativa 31 e do desenvolvimento de técnicas diárias com baixo custo que previnam doenças e perdas nos negócios.

De acordo com a técnica, é essencial que os produtores tenham bons funcionários e sigam uma rotina de ordenha para que o leite seja de maior qualidade e eles “não percam o sono” em razão de problemas no rebanho. “A gente sabe o quanto a mastite impacta o bolso e a rentabilidade da propriedade, só que as vezes, lá na rotina da fazenda, deixa-se de fazer muitas coisas”, disse, ressaltando que para que isso ocorra é necessária uma mudança de rotina nas fazendas e sensibilização dos produtores.

A mastite, segundo a técnica da MSD, é uma doença que exige mudança de hábito e implementação de técnicas efetivas por parte dos produtores. Na ocasião, a médica veterinária ressaltou que, para uma boa produção, é necessário que se tenha um rebanho saudável criado em um ambiente propício e com nutrição adequada. “Tudo isso somado faz com que a gente tenha ótimas produções. Vamos ter uma vaca produzindo bastante e um leite de qualidade. Afinal, sabemos que a quantidade de leite que uma vaca produz por dia é um dos fatores que mais impactam a rentabilidade da fazenda”, disse.

Geladeira Président estreia em supermercados 

29/08/18
Crédito: Patrícia Comunello
Crédito: Patrícia Comunello

Uma novidade começa a invadir importantes redes supermercadistas do Brasil. Apresentada pela Lactalis durante a Expointer (Esteio/RS), em agosto, a geladeira personalizada vai levar para dentro de pontos de venda produtos premiuns da marca Président, como suas linhas de queijos, manteiga e requeijão.  

O equipamento na cor vermelha tem nas laterais desenhos da Torre Eiffel – tradicional ponto turístico de Paris. A meta é estar presente em diversos pontos de venda no Brasil com os produtos que são número 1 entre os consumidores franceses. Além de divulgar os itens da marca, a ação busca levar uma nova experiência aos clientes, uma vez que o mix atende a diversos perfis de consumidores.

Lactalis doa 2.700 litros de leite UHT a três entidades assistências de Porto Alegre

04/07/18

A Lactalis do Brasil realizou, em junho de 2018,a doação de 2.700 litros de leite UHT da marca Parmalat a três entidades assistenciais de Porto Alegre. A ação de responsabilidade social promovida pela indústria com sede na capital gaúcha teve como alvo instituições tradicionais no atendimento a pessoas em situação de vulnerabilidade social.

O Asilo Padre Cacique, que atende atualmente a 130 idosos, recebeu 1.200 litros do produto que servirá para amenizar o desabastecimento provocado pela greve dos caminhoneiros na última semana, episódio que reduziu drasticamente as doações da comunidade.  Outra entidade beneficiada pela ação da Lactalis foi o Orfanato Lar Esperança, instituição que atende crianças e adolescentes em situação de risco, que recebeu 500 litros de leite, e os usuários do programa Prato para Todos, capitaneado pela Ceasa/RS, que na ação da Lactalis foram contemplados com 1.000 litros de leite UHT.

O diretor de Comunicação da Lactalis, Guilherme Portella, acompanhou a entrega no Asilo Padre Cacique, e reforçou a importância do trabalho organizado pelas instituições em prol dos necessitados. “São organizações que atuam com pessoas que realmente necessitam de ajuda.  A solidariedade deve ser um ato permanente e precisamos estar mobilizados para ampliar as doações a quem precisa”, salientou o executivo.

Lactalis investe em fornecedores no país

11/09/17
Elegê Garrafa crédito Leticia Szczesny
Elegê Garrafa crédito Leticia Szczesny

Lactalis confirma aporte de R$104 milhoes no Sul

20/10/16
dica4
dica4